Terapia Ocupacional

Home / Terapia Ocupacional

O que é?

Os Terapeutas Ocupacionais são profissionais de saúde que habilitam para a ocupação de forma a promover a saúde e o bem-estar das pessoas, proporcionando às mesmas o seu nível máximo de funcionalidade e de independência nas ocupações em que desejam participar. Com este objetivo, o Terapeuta atua numa equipa multidisciplinar e em parceria com organizações, para otimizar a participação em atividades. Promove também a capacidade de indivíduos, grupos e organizações a escolherem, organizarem e desempenharem, de forma satisfatória, ocupações que estes considerem significativas. Estas ocupações podem ser tão elementares como alimentar-se ou vestir-se ou tão elaboradas como conduzir um carro ou desempenhar uma atividade laboral.

Para quem?

A Terapia ocupacional destina-se a pessoas de todas as idades com problemas diversos a nível do desenvolvimento psicomotor, deficiências ou síndromes específicos e que comprometam ou coloquem em risco um desempenho ocupacional satisfatório, nomeadamente perturbações como:

  • Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção;
  • Dificuldades de Aprendizagem (Dislexia, a Disortografia, a Disgrafia e a Discalculia);
  • Síndromes;
  • Autismo;
  • Paralisia Cerebral;
  • Disfunções de Integração Sensorial;
  • Síndrome de Down; Atrasos globais de desenvolvimento;
  • Perturbações disruptivas do comportamento;
  • Depressão;
  • Deficiência Intelectual;
  • Perturbação de Ansiedade;
  • Perturbações de comportamentos alimentares;
  • Amputação;
  • Traumatismo Cranio-Encefálico;
  • Acidente Vascular Encefálico;
  • Fraturas;
  • Síndrome do túnel cárpico, do canal de Guyon e de Quervain;
  • Demências;
  • entre outros.

 

Como decorre?

AVALIAÇÃO

O terapeuta ocupacional avalia as funções sensoriais, cognitivas, emocionais, motoras e sociais do indivíduo, bem como os fatores ambientais que influenciam o seu desempenho nas atividades. Identifica as áreas de disfunção, para envolver o indivíduo num programa estruturado de atividades significativas, de forma a ultrapassar as dificuldades proporcionadas pela sua condição de saúde.

A avaliação tem início na primeira consulta, sendo recolhido o historial e outras informações relevantes da pessoa, e o número de sessões de avaliação dependerá de cada caso.

INTERVENÇÃO

Na sua abordagem, o terapeuta ocupacional intervém ao nível da pessoa, da ocupação e do ambiente, selecionando atividades de acordo com as necessidades pessoais, sociais e culturais de cada indivíduo.

A nível da pessoa, o terapeuta intervém especificamente para desenvolver competências, restaurar funções perdidas, prevenir disfunções e/ou compensar funções, através do uso de técnicas e procedimentos específicos e/ou da utilização de ajudas técnicas ou tecnologias de apoio.

Relativamente à ocupação, o profissional de saúde intervém graduando a mesma, através de procedimentos e equipamentos específicos, de forma a adaptá-la às necessidades da pessoa, para que estas possam ser desempenhadas com sucesso e de modo satisfatório.

Por último, ao nível do ambiente, o terapeuta procura perceber se este facilita ou inibe o envolvimento da pessoa nas ocupações, identificando o suporte/apoio, as exigências dos espaços e/ou dos equipamentos, as pessoas e a cultura que fazem parte do ambiente da pessoa. Desta forma, o terapeuta intervém, modificando o ambiente físico e social, de forma a remover barreiras e fomentar os aspetos facilitadores da participação em ocupações.

Ao longo do processo de intervenção são realizadas reavaliações, no sentido de recolher informação acerca do ritmo de desenvolvimento, das áreas que ainda precisam de ser alvo de intervenção ou da necessidade de continuar com a intervenção.

As sessões têm duração de 50/60 minutos e a periodicidade das mesmas dependerá das necessidades de cada individuo.

Algumas das atividades desenvolvidas no âmbito da Terapia Ocupacional são: